Terca-Feira, 17 de Setembro de 2019


O RiME é o novo jogo de aventura do estúdio Tequila Works disponível para PS4, Xbox One e PC (via Steam). Inspirado nos jogos de Fumito Ueda, como Ico, Shadow of the Colossus e The Last Guardian, o título é focado na resolução de quebra-cabeças e desafios pontuais de plataforma. Confira o review do TechTudo com os prós e contras do game.
Confira a análise de The Last Guardian
Uma joia poética
Os primeiros minutos de RiME são mais do que suficientes para revelar as principais influências do estúdio espanhol Tequila Works, que até então havia trabalhado somente no jogo de plataforma e sobrevivência Deadlight. A atmosfera de desolação, característica dos jogos de Fumito Ueda, está presente desde o início.
RiME: confira a análise completa do game de aventura (Foto: Victor Teixeira/TechTudo)
Sem qualquer tipo de introdução, o jogador assume o papel do jovem protagonista que acorda em uma ilha misteriosa após uma chuva torrencial. O pequeno herói desperta na beira da praia e, a partir daí, passa a explorar o local livremente em busca de respostas.
A premissa de RiME é simples e direta: trata-se de um jogo de exploração conduzido por quebra-cabeças reveladores. Não há um sistema de combate, somente puzzles básicos, desafios de plataforma e amplos ambientes com segredos a serem descobertos.
Aplicativo do TechTudo: receba as melhores dicas e últimas notícias no seu celular
Desafios bem projetados, mas sem recompensa
Os desafios se resumem a encontrar determinados itens para abrir portas, posicionar objetos em ângulos corretos e girar alavancas para mover peças maiores. Apesar de serem bem construídos, os enigmas são simples e, às vezes, pouco originais. Para facilitar ainda mais, o menino é acompanhado de uma pequena raposa que serve como guia.
RiME: pequeno herói deve encarar quebra-cabeças ao lado de sua raposa (Foto: Victor Teixeira/TechTudo)
De fato, você dificilmente ficará preso a um obstáculo sem saber o que fazer. A facilidade em resolver problemas lógicos pode desagradar, com o tempo, o jogador que busca puzzles recompensadores.
Embora não tenha uma narrativa estruturada, RiME oferece uma história interessante de se acompanhar, contada por meio de símbolos nas paredes - com estética semelhante às pinturas egípcias. Nenhuma informação é fornecida de graça, portanto cabe ao jogador correr atrás para descobrir o que aconteceu.
Por se tratar de um jogo de mundo aberto, o personagem está livre para desbravar o mundo no ritmo que be...


>>> Veja o artigo completo no TechTudo